segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Osteoporose: prevenção é o melhor remédio!!


Dia 20 de Outubro foi o dia Mundial da Osteoporose! E o Bistrô Saúde não podia deixar de trazer informações sobre essa doença que afeta aproximadamente 50% das mulheres acima dos 40 anos, que com hábitos alimentares adequados podemos evitar!


A Osteoporose é um distúrbio metabólico presente nos ossos, caracterizado pela diminuição da densidade mineral óssea (DMO), com deterioração da massa óssea, levando a um aumento da fragilidade esquelética e do risco de fraturas.
 As principais manifestações clínicas da osteoporose são as fraturas, sendo as mais freqüentes as de vértebras, fêmur e antebraço.
A massa óssea adequada a cada indivíduo está associada a uma boa nutrição, que deve ser constituída de uma dieta balanceada, com quantidade suficiente de calorias, cálcio e vitamina D.
As mulheres brancas na pós-menopausa e idosos apresentam maior incidência de fraturas.
A seguir, um vídeo divertido para que você entenda melhor sobre a osteoporose!!
            



           O cálcio é um mineral crucial para a manutenção da vida. Quase todas as células do organismo, incluindo as do coração, nervos, músculos e principalmente os ossos, dependem do cálcio para um bom funcionamento. Os ossos necessitam de cálcio para manter sua estrutura firme e intacta.
Pelo grande papel que o cálcio exerce, o organismo tem mecanismos extremamente regulados para garantir um bom suporte de cálcio para os tecidos que o necessitam, Esses mecanismos agem de três formas:

            1.     Absorvendo cálcio diretamente do alimento que nós comemos.

2. Levando cálcio dos nossos ossos se não houver suficiente disponível. (Quando isso acontece, os ossos se tornam menos densos e mais frágeis.)

3. 
Diminuindo a quantidade de cálcio que seria eliminado pela urina, fazendo com que o cálcio retorne para a corrente sanguínea onde permanece à disposição dos órgãos e células.

Na infância, o cálcio é necessário para promover um bom crescimento ósseo. Dos 16 aos 20 anos , os ossos param de crescer em comprimento, portanto é nessa idade que atingimos nosso pico de massa óssea. Quanto maior esse pico de massa óssea, menor a probabilidade nossos ossos tornarem-se porosos e frágeis com o passar dos anos. Á medida que envelhecemos, a reposição do cálcio removido dos ossos torna-se diminuída
Portanto, o principal objetivo da nutrição em relação ao cálcio é o de manter um suporte adequado na juventude, para que, com o passar dos anos, nosso organismo não necessite retirar cálcio do seu principal reservatório - os nossos ossos.

A necessidade de cálcio varia conforme a faixa etária, sendo maior em períodos de rápido crescimento como a adolescência (1.300 mg/dia). Nesses períodos, ocorre crescimento ósseo e aumento do depósito mineral, até que o pico de massa óssea seja alcançado por volta da terceira década de vida. Na idade adulta, a necessidade diária de cálcio é em torno de 1.000 mg. Nos períodos em que a absorção intestinal de nutriente encontra-se diminuída ou a taxa de reabsorção óssea aumentada, como na pós-menopausa, a necessidade de cálcio novamente se eleva (1.200 a 1.300 mg/dia).



Alimento
Porção
Cálcio (mg)
Leite enriquecido com cálcio*
1 copo
384
Queijo fresco
2 pedaços
324
Leite desnatado
1 copo
322
Leite integral
1 copo
295

Adaptado: Tabela Brasieíra de Composição de Amentos - TACO Versão II, ? edição. 2006.

Segundo dados de consumo alimentar obtidos pela Pesquisa BRAZOS (Brazilian Osteoporosis Study) de 2010, 90% dos entrevistados ingerem 1/3 (400 mg) do valor preconizado.
A ingestão de quatro copos (240 mL) de leite é suficiente para atingir as recomendações para indivíduos acima de 50 anos. O iogurte e o queijo também são boas fontes de cálcio. Os alimentos com gordura reduzida são normalmente recomendados, e é importante notar que há pouca diferença na quantidade de cálcio quando comparados aos integrais; os desnatados apresentam quantidade um pouco maior.  As verduras verde—escuras como brócolis e couve são fontes alternativas de cálcio, porém a quantidade e biodisponibilidade do cálcio nesses alimentos é menor quando comparadas ao leite e seus derivados. Vale lembrar que a ingestão de refrigerantes, café, chá, e a falta de exposição ao sol, alteram negativamente a absorção de cálcio.

Cabe ao profissional da saúde proporcionar ao seu paciente o conhecimento sobre  fontes de cálcio dos alimentos e suplementos, desmistificar as preocupações relacionadas ao ganho de peso e a percepção alto teor de gordura dos alimentos ricos em cálcio (como os produtos lácteos), além de explicar que há opções de fontes de cálcio para indivíduos com intolerância à lactose, ganho de peso e hipercolesterolemia.
Para saber se você está ingerindo cálcio adequadamente, procure seu nutricionista!

Se você deseja receber um material COMPLETO com as principais fontes de cálcio e opções para um cardápio rico em cálcio, FALE CONOSCO !!!




Referências Bibliográficas:
Canadian Osteoporosis Patient Network (COPN) Disponível em:  http://www.osteoporosis.ca/index.php/ci_id/5533/la_id/1.htm Acesso em: 24/10/2011.
Consenso Brasileiro de Osteoporose. Revista Brasileira de Reumatologia, vol.42, No. 6, 2002.
French MR, Vernace-Inserra F, Hawker G. A Prospective Study to Identify Factors Affecting Adherence to Recommended Daily Calcium Intake in Women with Low Bone Mineral Density. Journal of the American College of Nutrition. Vol. 27, No. 1, 2008.
Pinheiro MM, Ciconelli RM, Martini LA, Ferraz MB. Risk factors for recurrent falls among Brazilian women and men: the Brazilian Osteoporosis Study (BRAZOS) Cad. Saúde Pública, Vol 26, No. 1, 2010.
Giselle A. P. Pereira(1,2), Patrícia S. Genaro(1,2), Marcelo M. Pinheiro(2), Vera L. Szejnfeld(2), Lígia A. Martini(1)
Pereira GAP, Genaro PS, Pinheiro MM, Szejnfeld VL, Martini LA. Cálcio dietético – estratégias para otimizar o consumo.  Rev Bras Reumatol, Vol 49, No 2, 2009.


Vídeo Osteoporose: Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=IoPTGePUuAk&feature=feedwll Acesso em: 24/10/2011.

Se você deseja receber as newsletters do Bistrô, mande seus dados (nome, e-mail e profissão) para:
 bistrosaude@hotmail.com

ou cadastre-se ao lado para receber nossos posts no seu email

Ou visite no perfil no Facebook ou Twitter: 


                  


Texto Elaborado por : 


Ticiane Gonçalez Bovi - Nutricionista - CRN3: 27299

Ana Carolina Assad - Nutricionista - CRN3: 27893