segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Dia 14 de Novembro, Dia Mundial do Diabetes. O Bistrô Saúde está nesta campanha de alerta e prevenção, E VOCÊ??


Dia 14 de Novembro - Dia Mundial do Diabetes! 
E nós do Bistrô Saúde, não poderíamos deixar esse assunto tão importante de lado! Abaixo, um breve resumo sobre a doença e o porque você deve se preocupar com isso! Ao final do texto, links com arquivos importantes e sites referências! Além disso, o Bistrô disponibilizará um material mais completo sobre o assunto aos mais interessados!
Confira Nossa Matéria! Clicando abaixo em "MAIS INFORMAÇÕES".



Segundo o Caderno de atenção Básica do Ministério da Saúde Brasileiro (MS) o Diabetes Mellitus (DM) é um grupo de doenças metabólicas caracterizadas por hiperglicemias associadas a complicações, disfunções e insuficiência de vários órgãos, especialmente olhos, rins, nervos, cérebro, coração e vasos sangüíneos. O DM pode resultar de defeitos de secreção e/ou ação da insulina envolvendo processos patogênicos específicos, como a destruição das células beta do pâncreas (produtoras de insulina), resistência à ação da insulina, distúrbios da secreção da insulina, entre outras patologias.
De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, o Diabetes atingiu cerca de 173 milhões de adultos no mundo no ano de 2002, com uma projeção de 300 milhões para o ano de 2030. 
Dentre os sintomas indicativos desta doença, os mais comuns são: polidipsia (sede excessiva), poliúria (aumento do volume urinário, ou seja, o indivíduo passa a urinar com mais freqüência), visão turva e perda de peso.
 O Diabetes Mellitus Tipo 1, Tipo 2 e o Diabetes Gestacional são as formas mais frequentes e mais conhecidas desta doença.
O Diabetes Tipo 1 (DM1), forma presente em 5% a 10% dos casos, é uma doença auto-imune caracterizada pela destruição das células beta produtoras de insulina levando ao estágio de deficiência absoluta de insulina, deste modo, a administração de insulina é necessária para prevenir cetoacidose, coma e morte.
Não se sabe ao certo por que as pessoas desenvolvem o DM1, estudos indicam que alguns indivíduos nascem com genes que as predispõem à doença, no entanto, outros possuem os mesmos genes e não têm diabetes. O DM1 pode surgir em qualquer idade, mas geralmente é mais freqüente em pessoas com menos de 35 anos.
Manter uma vida saudável com uma dieta adequada e atividade física, realizar o monitoramento da glicemia e seguir corretamente o esquema de aplicação de insulina são ações básica para esquema terapêutico no DM1.
O Diabetes Tipo 2 (DM2), presente em 90% a 95% dos casos, é caracterizado por defeitos na ação e secreção de insulina. Uma das peculiaridades desta patologia é a contínua produção de insulina pelo pâncreas, no entanto, esta produção não é suficiente ou não é capaz de manter a glicemia em níveis normais.
O DM2 está especialmente associado ao sobrepeso e a obesidade, pode ocorrer em qualquer idade, mas é geralmente é diagnosticado após os 40 anos, no entanto, inúmeros estudos apontam que o DM2 está atingindo uma população cada vez mais jovem. Isto se deve principalmente às mudanças no estilo de vida, alimentação inadequada e sedentarismo.
O plano terapêutico no DM2 visa o controle glicêmico através da mudança do estilo de vida (dieta e atividade física) e utilização de medicamentos. A utilização de insulina no DM2, quando efetuada, não visa evitar cetoacidose, mas alcançar o controle do quadro hiperglicêmico.
Na gestação duas situações envolvendo o Diabetes podem acontecer: a mulher que já tinha diabetes e engravida e o Diabetes Gestacional (DMG). O DMG ocorre quando há alterações nas taxas de açúcar no sangue que aparecem ou são detectadas pela primeira vez na gravidez. O Diabetes pode persistir ou desaparecer depois do parto.
Segundo a Atualização Brasileira sobre diabetes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2006), os principais fatores de risco para o surgimento do DMG são: Idade superior a 25 anos; obesidade ou ganho excessivo de peso na gravidez atual; deposição central excessiva de gordura corporal; história familiar de diabetes em parentes de 1º grau; crescimento fetal excessivo, poliidrâmnio, hipertensão ou préeclâmpsia na gravidez atual; e antecedentes obstétricos de morte fetal ou neonatal, de macrossomia ou de diabetes gestacional.
O bom controle glicêmico é essencial para prevenir complicações prejudiciais para gestante e para o bebê, por este motivo o acompanhamento médico é nutricional é essencial para uma gestação tranquila.
Existem também outros tipos de Diabetes Mellitus que ocorrem com menor freqüência, são eles:
·         Diabetes Secundário ao Aumento de Função das Glândulas Endócrinas;
·         Diabetes Secundário a Doenças Pancreática;
·         Resistência Congênita ou Adquirida à Insulina;
·         Diabetes Associado à Poliendocrinopatias Auto-Imunes;
·         Diabetes Associado à Desnutrição e Fibrocalculoso;
·         Diabetes Relacionados à Anormalidade da Insulina (Insulinopatias);
·         Diabetes Tipo LADA (Latent Autoimmune Diabetes in Adults).
Para saber mais detalhes sobre estes tipos de Diabetes acesse este link da Sociedade Brasileira de Diabetes: http://www.diabetes.org.br/tipos-de-diabetes/127-outros-tipos-de-diabetes
Um dos principais desafios para o portador de DM é manter o controle glicêmico adequado.  A American Diabetes Association (ADA) em recente publicação neste ano de 2011, recomenda que a meta da Hemoglobina Glicada (A1C) para a maioria das pessoas adultas e não grávidas seja de <7,0%.
Um plano alimentar individualizado e equilibrado, é parte fundamental para o alcance da meta glicêmica desejável.  De acordo com a SBD, “O plano alimentar deve ser cuidadosamente elabora­do, fornecer alimentação nutricionalmente equilibra­da de acordo com as necessidades individuais, manter bom controle metabólico para prevenir e/ou retardar complicações agudas e crônicas e proporcionar ao portador de diabetes uma melhor qualidade de vida.
A fim de auxiliar você, Profissional Nutricionista, a conhecer mais sobre esta doença, o Bistrô Saúde separou materiais interessantíssimos que vão ajudá-lo a desenvolver um plano alimentar adequado ao seu paciente portador de Diabetes Mellitus. CLIQUEM NAS FIGURAS PARA BAIXAR OS ARQUIVOS!
O Bistrô Saúde espera que este pequeno banco de arquivos possa disseminar mais informações sobre esta doença e assim, reduzir os agravos trazidos pelo Diabetes Mellitus!


      







Site Sociedade Bras. de Diabetes


Site Nutrição e Atividade física da Sociedade Bras  de Diabetes

Blog da Sociedade Bras de Diabetes


O Bistrô Saúde tem muito mais arquivos sobre este assunto! Se você se interessa e deseja receber todo o material em seu email, FALE CONOSCO !!!
Sua participação é muito importante para nós, portanto, participe, comente, dê sugestões e sua opinião sobre o Bistrô Saúde, e se você tem curiosidade de saber sobre algum assunto ou tema, mande suas sugestões para nós !

Referências Bibliográficas:
  1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diabetes Mellitus / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde,Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2006. 64 p. il. – (Cadernos de Atenção Básica, n. 16) (Série A. Normas e Manuais Técnicos) ISBN 85-334-1183-9. 1. Diabetes Mellitus. 2. Dieta para Diabéticos. 3. Glicemia. I. Título. II. Série.

  1. American Diabetes Association. Standards of Medical Care in Diabetes – 2011. Diabetes Care 34 (Suppl 1):S11-S61, 2011.

  1. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2009/Sociedade Brasileira de Diabetes. [3ª edi.], Itapevi, SP: A. Araújo Silva Farmacêutica, 2009.

  1. Sociedade Brasileira de Diabetes. http://www.diabetes.org.br/ . Data de acesso: 12/11/2011.
  

E se você deseja receber mais informações e mais materiais, mande seus dados (nome, e-mail e profissão) para:  bistrosaude@hotmail.com ou cadastre-se ao lado para receber nossos posts no seu email
Ou visite no perfil no Facebook ou Twitter: 
                  


Texto Elaborado por : 


Ticiane Gonçalez Bovi - Nutricionista - CRN3: 27299
Ana Carolina Assad - Nutricionista - CRN3: 27893